segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

Ministério da Saúde inicia vacinação contra o sarampo nesta segunda-feira

O Ministério da Saúde inicia, nesta segunda-feira (10), em todo o País, a Campanha Nacional de Vacinação de Tríplice Viral, que previne contra o sarampo, a rubéola e a caxumba. O público-alvo é a população na faixa etária entre 5 e 19 anos. Recentemente, o Brasil registrou um surto de sarampo. A cobertura vacinal incompleta da população é apontada como a principal causa de proliferação da doença.
Em Belém, de janeiro até ontem tinham 5 casos da doença confirmados. Outros 482 casos suspeitos aguardam o resultado de exames para confirmar ou não o registro da patologia. Enfermeira da Divisão de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), Eula Neves explicou que a baixa cobertura vacinal ocasiona o surgimento da doença. Segundo o Ministério da Saúde, o ideal é que 95% da população esteja imunizada. Mas, atualmente, Belém está com apenas 80% da cobertura.
Medida
“Em todo caso suspeito, a primeira medida deve ser procurar a assistência médica. Se for em Belém, a Divisão de Vigilância Epidemiológica será notificada e, a partir daí, são feitas várias ações como o bloqueio vacinal das pessoas não vacinadas, com quem o doente manteve contato, e também é realizado o exame com o doente”, frisou Eula Neves.
Para comprovar o registro da doença, a Sesma realiza uma coleta de sangue e de secreção nasofaringe do doente. A enfermeira explica que o sarampo é uma doença respiratória contagiosa a partir do contato direto com a pessoa doente, onde 90% dos casos são transmitidos pelo contato com as gotículas de secreção.
Pessoas não imunizadas com a vacina tríplice viral ou com o esquema vacinal incompleto são suscetíveis ao contagio. “É uma doença viral aguda extremamente contagiosa. Uma pessoa doente pode passar diretamente para até 18 pessoas suscetíveis, com o esquema vacinal incompleto ou não vacinada”, reforçou Eula.
Serviço:
Sarampo
É uma doença viral aguda extremamente contagiosa. Uma pessoa doente pode passar diretamente para até 18 pessoas suscetíveis, com o esquema vacinal incompleto ou não vacinada. Cerca de 90% dos casos são transmitidos pelo contato com as gotículas de secreção do doente.
A doença é mais comum em crianças menores de cinco anos, que deveriam estar vacinadas com a dupla dose da tríplice viral.
Sintomas
Febre acompanhada de manchas vermelhas pelo corpo, iniciando na face e espalhando-se pelo restante corpo. Apresenta também sintomas como tosse, coriza, fadiga e conjuntivite.
Em estágio avançado, a doença pode evoluir para um quadro de pneumonia, o que pode levar o doente a óbito.
Diagnóstico e tratamento
No surgimento de qualquer um dos sintomas, a orientação é procurar assistência médica imediatamente. O médico vai avaliar o paciente e o tratamento, em geral, consiste na administração de medicamentos para aliviar sintomas que a pessoa venha a apresentar.
Prevenção
A principal forma de se proteger contra doença é manter o esquema vacinal completo. A vacina é distribuída em todas as unidades básicas de saúde espalhadas pelo país.
A vacinação contra o sarampo segue nas unidades básicas de saúde, de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h. A vacina é indicada em duas doses para crianças menores de cinco anos e jovens de 20 a 29 anos; e em dose única para adultos de 30 a 49 anos.
Em números
DADOS – Sarampo
2019: 107 casos confirmados entre os residentes de Belém.
2020: 5 casos confirmados
Os bairros com o maior número de notificações são Guamá, Jurunas e Condor.
5 a 19 anos
O público-alvo é a população na faixa etária entre 5 e 19 anos.
Fonte: DOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário